Projeto Lerelena

Projeto Lerelena

Em homenagem ao centenário do nascimento da poeta paranaense Helena Kolody iniciamos o Projeto Lerelena.

Nove poetisas do sul brasileiro se propoem ao desafio de ler relendo (ler helena) e interInvencionar. A proposta é confluir e colidir a nossa letra com a dela, helena. As interInvenções serão sempre sensibilizadas por poemas seus. Nesta primeira etapa partiremos de nove poemas que serão postados a cada sexta-feira.


Miragem no caminho (Helena Kolody)

Perdeu-se em nada,

caminhou sozinho,
a perseguir um grande sonho louco.

(E a felicidade
era aquele pouco
que desprezou ao longo do caminho.)



sexta-feira, 13 de julho de 2012

Ontem agora (eu amo dançar no tapete mágico)

Ontem agora 
(eu amo dançar no tapete mágico)
Carolina Mattar

No centro da cidade, ontem, a performance de muitos olhos esperavam uma performance
Na casa de Rodrigo, ontem, a performance de poucos olhos esperavam performances diferentes 

Do homem que passa por um círculo de facas,
Do eu,

Era uma promessa, a promessa de passar, mas não de não ferir
Era uma promessa, a promessa de deixar passar, mas não de não ferir

Passou
Passei

Eu,

No centro da cidade, ontem, Doeu
Na casa de Rodrigo, ontem, Doeu 

Mas ele tinha um tapete mágico e nele escondido instrumentos alivia (dores)
Mas eles tinham dois tapetes mágicos e eles eram instrumentos alivia (dores)

Até o desocupado e inesperado leitor dançou músicas da rádio balada
Até a desocupada e inesperada expecta (dor) a encontrou um berimbal no meio do caminho

O centro da cidade, ontem, foi um regalito para um eu ensopado 
A casa de Rodrigo, ontem, foi um regalito, com sopas e torradas, para um círculo de facas 

O círculo de facas

No centro da cidade, agora, passos pesados tentam parar em um lugar nunca parado
Na casa de Rodrigo, agora, teclagens indecisas pensam em pensar em parar de pensar em palavras muito guardadas
E ontem o dia comeu a tristeza muito salgada 
E hoje é sexta-feira treze.

2 comentários:

Jo Ana disse...

Um regalito para meu inesperado leitor.

saudade só disse...

1
viajar só
decidir só
pra onde ir
e ir só
só buscar onde dormir
e dormir só
sentir fome só
ler prato para 2
e comer só
só no último assento da última fila
ouvir o conferencista
e só escutar o próprio pensamento
pensando só no que pensaria
emocionar-se só
e saber que só não se pode compartilhar
escolher o ângulo só
compor o quadro só
ver o instantâneo só
e só comentar consigo só
só não consigo
e a saudade é só isso