Projeto Lerelena

Projeto Lerelena

Em homenagem ao centenário do nascimento da poeta paranaense Helena Kolody iniciamos o Projeto Lerelena.

Nove poetisas do sul brasileiro se propoem ao desafio de ler relendo (ler helena) e interInvencionar. A proposta é confluir e colidir a nossa letra com a dela, helena. As interInvenções serão sempre sensibilizadas por poemas seus. Nesta primeira etapa partiremos de nove poemas que serão postados a cada sexta-feira.


Miragem no caminho (Helena Kolody)

Perdeu-se em nada,

caminhou sozinho,
a perseguir um grande sonho louco.

(E a felicidade
era aquele pouco
que desprezou ao longo do caminho.)



terça-feira, 7 de agosto de 2012

(Viagem do (des)cobrimento - anexo) - Dedicatória


 
O que está escrito nesta primeira página de Tutaméia nós sabemos, ou melhor, cada um tem sua própria leitura, mas o que os pais de Joãozito leram nunca saberemos. Esta semana alguém me dizia que estava cansado de dedicatórias impessoais, seria a palavra amor impessoal......

Mas cada um é feito um por si. 
E o entendimento vai sempre via um olho só.

Riobaldo escolhe uma pedra de topázio para seu amigo Diadorim
mas a pedra acaba com Otacília 
Da amizade, do primeiro, tem certeza
Do amor, da segunda, incerteza.

Como é que se pode gostar do verdadeiro no falso? 
Amizade com ilusão de desilusão. Vida muito esponjosa.

O amor? Pássaro que põe ovos de ferro. 

Diadorim era aquela estreita pessoa – não dava de transparecer o que cismava profundo, nem o que presumia. Acho que eu também era assim. Dele eu queria saber? Só se queria e não queria.

Mas cada um é feito um por si. 
E o entendimento vai sempre via um olho só.

2 comentários:

Anônimo disse...

Nada a fazer
a não ser dizer adeus,
mas a partida e a chegada são irmãs e estão sempre juntas

Jo Ana disse...

Amei!!!! Tive uma ideia depois de ler sua postagem!!!!!gracias!!!